Maria Bethânia e Marisa Monte também figuram no elenco estelar do álbum ‘Vol. 2’. Marcelo Costa e Roberta Sá na gravação da música ‘Deixei recado’ para o álbum ‘Vol. 2’
Montão pessoal Marcelo Costa
Em abril de 2019, Roberta Sá lançou álbum, Giro, com 11 músicas inéditas de Gilberto Gil. No show, estreado na sequência, em maio, a cantora misturou essa safra inédita com canções antigas (mas não necessariamente conhecidas) do compositor baiano.
Uma dessas músicas antigas foi Deixei recado, uma das oito parcerias de Gil com João Donato gravadas pelo cantor, compositor e pianista acriano no álbum Lugar geral (1975). Deixei recado era música até portanto pouco ouvida que nunca tinha tido outro registro fonográfico além da gravação original de Donato.
O segundo registro da constituição foi feito na última quarta-feira, 12 de fevereiro, pela própria Roberta Sá. Neste dia, a cantora gravou Deixei recado no estúdio da gravadora Biscoito Fino, na cidade do Rio de Janeiro (RJ), em participação para o segundo álbum do baterista e percussionista carioca Marcelo Costa, Vol. 2.
A gravação de Deixei recado com Roberta Sá foi feita com os toques dos músicos Alberto Continentino (grave), Danilo Andrade (teclados) e Pedro Sá (guitarra), além do próprio Marcelo Costa na bateria. Trata-se – cabe ressaltar – dos músicos que tocavam com Roberta Sá no show Giro, sendo que Pedro Sá substituiu o guitarrista Muito Gil no percurso da turnê.
O disco Vol. 2 está previsto para ser lançado neste ano de 2020 com elenco estelar que, além de Roberta Sá, inclui Marisa Monte no samba-canção Tão só (Dorival Caymmi e Carlos Guinle, 1953) e Maria Bethânia na valsa Número um (Benedito Lacerda e Mário Lago, 1939) e na cantiga Meu bom (Marcelo Costa Santos, 1987).
E por falar na cantora de origem potiguar, Roberta Sá prepara show retrospectivo para rodar o Brasil em 2020 em comemoração dos 40 anos de idade – a serem completados pela artista em 19 de dezembro – e dos 15 anos de curso, tomando-se porquê ponto de partida a edição do primeiro álbum solene da cantora, Braseiro, em 2005.

Fonte: G1