O governo indiano divulgou novos detalhes sobre a falha na tentativa de pouso do módulo Vikram na Lua, em setembro deste ano, como parte da missão Chandrayaan-2. O lander deveria ter pousado na região sul da superfície lunar no dia 6 daquele mês, mas os controladores da missão perderam o contato quando o módulo estava a apenas 2,1 quilômetros de distância da Lua.

Até então, a Organização Indiana de Pesquisa Espacial (ISRO) manteve silêncio sobre o que realmente aconteceu. No entanto, na última quarta-feira (20), Jitendra Singh, ministro de Estado do Departamento de Espaço, publicou uma resposta às perguntas da câmara do Parlamento indiano sobre o que aconteceu durante a missão.

Apesar do acidente no pouso do lander Vikram, a missão Chandrayaan-2 segue em andamento com sua sonda orbital (Imagem: ISRO)

Em sua declaração, Singh disse que o Vikram teve um problema com os propulsores de frenagem, responsáveis por diminuir a velocidade durante a descida. De acordo com o ministro, a primeira fase de descida foi realizada a uma altitude de 30 km até chegar a 7,4 km acima da superfície da lua. O módulo diminuiu sua velocidade de 1.683 metros por segundo para 146 metros por segundo durante esse período.

-Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.-

Durante a segunda fase de descida, no entanto, “a redução na velocidade foi diferente do valor projetado”, disse o ministro. “Como resultado, o Vikram pousou em um raio de 500 metros do local designado”, concluiu. Singh não deu detalhes sobre o que causou essa alteração no valor programado da velocidade de descida, mas essa declaração é o primeiro reconhecimento formal do governo indiano de que realmente houve uma falha durante a tentativa de pouso, e não apenas uma falha de comunicação entre o lander e os controles terrestres.

De acordo com S. Somanath, diretor do Vikram Sarabhai Space Centre, a ISRO estava adiando um anúncio sobre o episódio até que os engenheiros pudessem concluir suas investigações sobre a perda do sinal. Eles estavam usando simulações para reproduzir o que teria acontecido. Somanath, no entanto, reconheceu que o dispositivo provavelmente atingiu a superfície lunar em alta velocidade, algo “além de sua capacidade de sobrevivência”. Ou seja: ainda que a ISRO não tenha declarado desta maneira, as entrelinhas revelam que o lander deve mesmo ter se chocado contra a superfície lunar.

Apesar de tudo, a ISRO afirma que a missão Chandrayaan-2 cumpriu entre 90% e 95% de seus objetivos, pois o módulo orbital está funcionando e deverá passar um ano circulando a Lua de um polo ao outro. A Índia tentará uma nova tentativa de pouso na Lua daqui a 12 meses, em novembro de 2020, com a missão Chandrayaan-3.

Leia a matéria no Canaltech.

Trending no Canaltech:

Chuva de meteoros pode ser vista do Brasil na madrugada de sexta-feira (22) Xiaomi | Novo carregador da marca vai de 0 a 100% de uma bateria em 17 minutos 5 motivos para comprar o Xiaomi Mi 9 Lite, que oferece ótimo custo-benefício LG lança G8X ThinQ, smartphone com duas telas, no mercado brasileiro Este pode ser o design da picape elétrica Tesla que a SpaceX quer levar a Marte

Source: Índia confirma que frenagem de nave falhou ao tentar pousar na Lua em setembro