Autossustentabilidade é o principal aspecto a ser avaliado

Já pensou em ganhar US$ 10 mil por desenhar uma cidade marciana? A Mars Society, grupo de defesa espacial dedicado à exploração de Marte, está oferecendo essa quantia para quem desenvolver o melhor projeto de urbanização capaz de acolher um milhão de habitantes no Planeta Vermelho.

Pode parecer simples, mas não é: além de se dedicar ao design da cidade, o desenvolvedor da gigante colônia marciana deve pensar em um projeto o mais realista possível, com foco em autossustentabilidade.

Nesse caso, a autossustentabilidade é importante porque, distantes da Terra – que já pode estar inabitável a essa altura –, os moradores devem ter recursos o suficiente para manter a vida em Marte sem recorrer a importações. Sendo assim, a colônia terá que “produzir todos os alimentos, roupas, abrigo, energia, produtos de consumo comuns, veículos e máquinas para uma população de 1.000.000”, conforme o anúncio do concurso.

Além disso, a Mars Society solicita que os participantes tenham em mente tecnologias como robótica avançada, inteligência artificial e impressão 3D, bem como um significativo aproveitamento dos recursos inerentes ao Planeta Vermelho.

Essa não é a primeira vez que a Mars Society realiza um concurso como esse. No ano passado, o grupo solicitou que os participantes projetassem uma urbanização marciana para apenas 10 mil pessoas. Uma equipe de estudantes do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) foi a grande vencedora com sua “Cidade das Estrelas”, uma colônia dividida em cinco aldeias, as quais representavam os cinco continentes da Terra.

[embedded content]

Os interessados no concurso deste ano têm até o dia 30 de junho para se inscreverem. Pessoas e equipes do mundo todo estão aptas ao projeto, basta que enviem uma proposta inicial com 20 páginas para o site que será criado em breve.

Via: Futurism

Design Robótica Marte MIT Inteligência Artificial impressão 3D exploração espacial

Compartilhe com seus seguidores

Fonte: Olhar Digital