Medida emergencial foi publicada no Quotidiano Solene da União e visa proteger médicos e pacientes de novas contaminações

Em edição extra do Quotidiano Solene da União (DOU), o Ministério da Saúde publicou uma portaria que regulamenta os atendimentos médicos a intervalo, a chamada telemedicina. Sua liberação, entretanto, será válida excepcionalmente durante o período de pandemia do novo coronavírus.

A medida emergencial foi tomada para “reduzir a propagação da Covid-19 e proteger as pessoas” que necessitem de atendimento médico.A modalidade poderá ser usada para consultas, monitoramento, suporte assistencial, atendimento pré-clínico e diagnóstico, tanto para o Sistema Único de Saúde (SUS) quanto para a rede de planos de saúde privados.

As consultas por telemedicina serão feitas diretamente entre médico e pacientes, de tratado com o texto da portaria, por meio de tecnologia da informação e informação que garanta a segurança, integridade e sigilo de informações daqueles envolvidos.

Assim uma vez que acontece normalmente, todas as consultas devem, obrigatoriamente, ser registradas em prontuário médico com indicação de data, horário, tecnologia da informação e informação utilizada e o número do Recomendação Regional Profissional do médico e sua unidade de federação.

Reprodução

Os médicos que realizarem atendimento por telemedicina estão autorizados a exprimir receitas médicas e atestados, desde que sejam assinados eletronicamente e venham acompanhados de informações sobre o profissional. Ou por outra, deverão seguir os requisitos já estabelecidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Em ofício enviado ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, o Recomendação Federalista de Medicina reconheceu a possibilidade do uso de orientações e monitoramento de pacientes a intervalo, assim uma vez que a troca de informações entre médicos, chamada de teleinterconsulta.

O método de consultas online já funciona em países uma vez que Estados Unidos e China. Nessa prática, o paciente marca uma consulta via aplicativo e fala com o médico por vídeo, em tempo real. O monitoramento pode ser feito da mesma maneira.

Via: UOL

Confira o planta do coronavírus COVID-19 no {Brasil}:
(situação até 22/03/2020)

Medicina {Brasil} telemedicina tecnologia medicinal coronavirus covid19 ministério da saúde

Compartilhe com seus seguidores

Fonte: Olhar Digital