Foi em Wuhan que a pandemia teve início, mas a cidade já não apresenta mais novos casos da Covid-19

A população de Wuhan, cidade chinesa que foi rudimento da pandemia de coronavírus, está sendo autorizada pelo governo a retomar sua rotina de trabalho. Paralelamente, o transporte público da região também voltou a funcionar depois dois meses de inatividade. O término das restrições veio depois que o Ministério da Saúde do país anunciou, nesta segunda-feira (24), que nenhum novo caso de Covid-19 foi notificado nos últimos cinco dias na metrópole que abriga mais de 11 milhões de habitantes.

Reprodução

Ainda que nenhum novo caso tenha aparecido em Wuhan, a cidade registrou nove mortes nas últimas 24 horas, todas em decorrência do coronavírus. No país inteiro, o mesmo período registrou 39 novos casos confirmados, sendo a maioria de pessoas que voltaram de viagens internacionais.

Agora, os moradores de Wuhan que apresentam bom estado de saúde podem se mudar dentro da cidade por meio de ônibus e metrôs – mas, para isso, precisam mostrar sua identidade às autoridades. Para voltarem a trabalhar, os habitantes necessitam de uma licença emitida pelo empregador, que só deve permitir a rotina depois um atestado médico que garante que a pessoa não possui a Covid-19.

Até portanto, toda a cidade estava proibida de trespassar dos limites do município desde o dia 23 de janeiro, quando teve início a quarentena na metrópole. Por ora, as viagens voltaram a ser permitidas aos que comprovarem que estão saudáveis.

Com o quadro da pandemia controlado, a China ainda é o país mais afetado pelo coronavírus, com 81.093 contaminações e 3.270 mortes. Só a Itália, que é o novo epicentro da Covid-19, supera os números chineses.

Via: Uol

Confira o planta do coronavírus COVID-19 no {Brasil}:
(situação até 22/03/2020)

China coronavirus wuhan covid19

Compartilhe com seus seguidores

Fonte: Olhar Digital