As eleições para os Conselhos Tutelares do último domingo, 6 de outubro, ficaram marcadas nas duas principais cidades do país, Rio de Janeiro e São Paulo, pela alta participação, desorganização, denúncias de irregularidades e impugnações de candidaturas. A votação ocorreu em todo o Brasil em meio a uma forte disputa entre setores católicos e evangélicos pelas vagas nos organismos, instituídos em 1990 com a lei que criou o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Os municípios podem definir o número de conselhos de acordo com seu tamanho e demanda. Paralelamente, eleitores laicos que sequer sabiam que podiam votar começaram a se mobilizar nas redes, espalhando listas com candidatos igualmente laicos e progressistas.

Seguir leyendo.

Fonte: EL PAÍS – Edição do Brasil